noche-cultura-hispanica

O Colégio Cascavelense – Cc realizou no dia 30 de abril, a oitava edição da Noche de La Cultura Hispánica. O evento, sempre aberto ao público estudantil, aos convidados e a comunidade cascavelense contou com os esforços dos discentes e docentes para aprimorar o evento anual, desde 2008, em cada realização consolidando-o como uma das nossas noites mais esperadas. Este ano, a exposição trouxe uma rica homenagem ao país das “muitas tribos”- México. As apresentações foram distribuídas em eixos temáticos em que os alunos expressaram um conjunto coeso e ao mesmo tempo heterogêneo da cultura mexicana, tendo por base o tema “México: ritos, ritmos, colores y sabores”.

O evento surgiu da necessidade de abordagem dos aspectos culturais no processo de ensino-aprendizagem do Espanhol como Língua Estrangeira Moderna, disciplina que integra a nossa grade curricular nos três anos do Ensino Médio, e tem sua inserção assegurada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s), documento criado para servir de referência ao ensino em âmbito nacional. Neste sentido, o projeto possibilita à comunidade escolar um conhecimento amplo da cultura dos países de língua espanhola mediante investigações bibliográficas e contribui com a comunidade local proporcionando entretenimento e conhecimento da cultura de países que se distanciam do Brasil em aspectos linguísticos, mas que apresentam traços semelhantes referentes à história do encontro das culturas europeias e de povos nativos. Com isso, a realização do evento se justifica principalmente por propor aos sujeitos envolvidos: alunos, professores, núcleo gestor e comunidade local, uma reflexão sobre a importância do respeito à cultura do outro em conseguinte a valorização da sua.

O concurso da logomarca, realizado em abril, teve como vencedor com 30 votos (61,22% dos 49 eleitores docentes e funcionários) o projeto apresentado pelos alunos do 1º Científico manhã, Erick Tobias Ribeiro dos Santos e Francisco Matheus Paulo Carneiro. O design destacou a gastronomia, as imagens: Mariachi, Chichén Itzá dos Maias, o Brasão de Armas da bandeira nacional, inspirados na lenda asteca sobre a fundação ‘’Tenochtitlan’’, que mais tarde se tornou conhecida como ‘’Ciudad de México’’.

A programação foi composta por apresentações artísticas das músicas, danças, peças teatrais e seminários que abordaram como temas literatura, política, história, economia e em destaque a culinária mexicana.

Na Quadra Poliesportiva do Cczinho foram apresentadas as atividades artísticas (músicas ao vivo, danças e artes cênicas) ancoradas pelos alunos do Ensino Médio turno manhã Diego Cartaxo (3ºCM), Paloma Abreu (1ºCM) e Mikael Colaço (1ºCM). Na abertura, “Ritual Indígena” apresentado pelos alunos do 3º ano tarde, com coreografia de Vicente Melo e maquiagem de Laeno Lima. As atrações prosseguiram com “Chiquititas” música Rechufas (alunos do 6º e 7º anos manhã e tarde, com coreografia de Eduardo Henrique); “O Chaves” (teatro alunos do 1° científico manhã, texto e direção do aluno Flávio Andrade (3ºCM); “Nuestro Amor” (telenovela, texto e direção de Eduardo Henrique); “Amor a la Mexicana” (coral, alunos do 2° científico tarde, cantora revelação da “noche” Hellensâmia Araújo”(2ºCT) com coreografia de Eduardo Henrique). No encerramento, “Mi Delírio” de Anahí dança, apresentado pelos alunos do 3° científico manhã, com coreografia de Eduardo Henrique.

No Passatempo, em conjunto com os coordenadores das equipes, Samara Freitas, Lara Colaço, Mariana Paulo, Rebeca Holanda, Eugênio Ferro e Adauto Peixoto os alunos, vestindo a caráter, exploraram a gastronomia mexicana com base milenar pré-colombiana, onde todos degustaram “guacamole”, “tacos (comida típica)” e “tortilha” que gozam de renome internacional, além da inigualável fusão de sabores em pratos como o “Grão mole” e os tradicionais molhos picantes com base no “chili”, ou seja, as pimentas e pimentões. Tudo foi deleite para os paladares mais exigentes. A culinária mexicana foi reconhecida pela Unesco como patrimônio cultural e imaterial da humanidade em 16 de novembro de 2010.

Nas Galerias foram apresentados pelas equipes de alunos, os seminários que abordaram as artes, a economia, a história, a literatura, a política e o turismo mexicano.

O êxito deste evento é o resultado de um trabalho conjunto dos coordenadores Márcio Carolino, Camila Bessa; professora e tutora de espanhol Eloíza Bezerra, dez jurados convidados, som e iluminação de Soundmaker Adefran; eletricista Antônio Carlos; professores, funcionários, seguranças, artistas, decoradores, figurinistas, maquiadores, costureiras, serviço de cantina, vigilância, patrocinadores e apoio, sob coordenação dos alunos Pedro Igor do 3º científico manhã e João Vicente, 2º científico manhã. Registramos a presença do professor de espanhol Milson Almeida, criador deste evento em 2008 e tutor até 2010.

Marcado com:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *